LUA DE PAPEL (DUAL ÁUDIO/720P/1080P) – 1973

PAPER MOON – 1973
COMÉDIA – CRIME – DRAMA
DIREÇÃO: Peter Bogdanovich
ROTEIRO: Joe David Brown, Alvin Sargent
IMDb: 8,2
http://www.imdb.com/title/tt0070510/

POSTAGEM PUBLICADA ORIGINALMENTE EM 11/03/2017

“ADICIONADA A VERSÃO 1080P”

RMZ – D. CLÁSSICA (H. RICHERS) – DUAL ÁUDIO

Postado por Dantweet

 

FILME (VERSÃO 1080P)
Formato: MKV
Qualidade: FULLHD 1080p (12 MB/s – 1920×1080 – 16:9 – 23.976 fps)
Tamanho: 8,97 GB
Duração: 106 min.
Legendas: Português (Filme e Comentário do Diretor) / Inglês
Áudio 1: Inglês (Original) – AC3 (256 Kbps) 2.0c 48KHz
Áudio 2: Português (D. Clássica Herbert Richers – AC3 (128 Kbps) 2.0c 48KHz
Áudio 3: Inglês (Comentário do Diretor (160 Kbps) 2.0c 48KHz
Servidor: Google Drive (Parte única)
Remasterizador e Uploader: Dantweet

FILME (VERSÃO 720P MAIOR)
Formato: MKV
Qualidade: HD 720p (11.7 MB/s – 1278×720 – 16:9 – 23.976 fps)
Tamanho: 8,96 GB
Duração: 106 min.
Legendas: Português (Filme e Comentário do Diretor)
Áudio 1: Inglês (Original) – AAC (154 Kbps) 2.0c 48KHz
Áudio 2: Português (D. Clássica Herbert Richers – AC3 (128 Kbps) 2.0c 48KHz
Áudio 3: Inglês (Comentário do Diretor (74 Kbps) 2.0c 48KHz
Servidor: Mega (5 partes RAR)
Remasterizador e Uploader: Dantweet

FILME (VERSÃO 720P MENOR)
Formato: MKV
Qualidade: HD 720p (2.000 Kb/s – 1278×720 – 16:9 – 23.976 fps)
Tamanho: 1,74 GB
Duração: 106 min.
Legendas: Português (Filme e Comentário do Diretor)
Áudio 1: Inglês (Original) – AAC (154 Kbps) 2.0c 48KHz
Áudio 2: Português (D. Clássica Herbert Richers – AC3 (128 Kbps) 2.0c 48KHz
Áudio 3: Inglês (Comentário do Diretor (74 Kbps) 2.0c 48KHz
Servidor: Google Drive (3 partes RAR)
Remasterizador e Uploader: Dantweet

EXTRAS
A Próxima Sessão de Cinema (The Next Picture Show)
Formato: MKV
Qualidade: 480p (1.500 Kb/s – 720×480 – 4:3 – 29.970 fps)
Tamanho: 167 MB
Duração: 14 min.
Legendas: Português (Embutida)
Áudio: Inglês (Original) – AAC (152 Kbps) 2.0c 48KHz

Pedindo a Lua (Asking For the Moon)
Formato: MKV
Qualidade: 480p (1.500 Kb/s – 720×480 – 4:3 – 29.970 fps)
Tamanho: 195 MB
Duração: 16 min.
Legendas: Português (Embutida)
Áudio: Inglês (Original) – AAC (152 Kbps) 2.0c 48KHz

Ganhando a Lua (Getting the Moon)
Formato: MKV
Qualidade: 480p (1.500 Kb/s – 720×480 – 4:3 – 29.970 fps)
Tamanho: 50 MB
Duração: 04 min.
Legendas: Português (Embutida)
Áudio: Inglês (Original) – AAC (152 Kbps) 2.0c 48KHz

 

 

 

FILME (VERSÃO 1080P): LUA DE PAPEL

FILME (VERSÃO 720P MAIOR): LUA DE PAPEL
SENHA: dantweet

FILME (VERSÃO 720P MENOR): LUA DE PAPEL
SENHA: dantweet

EXTRAS: LUA DE PAPEL (MAKING OF)
SENHA: dantweet

 

Esta é uma brilhante, terna e divertida comédia de época, com Ryan ONeal e sua filha Tatum, que ganhou um Oscar, logo em seu primeiro papel no cinema. Ryan ONeal é o vigarista Moses Pray, que viaja pelo Kansas, na época da depressão, com um carro cheio de bíblias de luxo, tem um dente de ouro em seu convinvente sorriso, e uma lista de pretendentes que ficaram viúvas recentemente. Addie (Tatum ONeal) é uma órfã, que já fuma aos nove anos de idade, e se junta a Moses, ensinando ao mestre alguns truquezinhos. Madeline Kahn é Trixie Delight, neurótica e engraçada, que vai no embalo dos dois, até que Addie percebe que ela pode atrapalhar a dupla…o que obviamente não pode acontecer.

FILME – VERSÃO 720P MAIOR

FILME – VERSÃO 720P MENOR




EXTRAS


Ryan O’Neal … Moses Pray
Tatum O’Neal … Addie / Addie Loggins
Madeline Kahn … Trixie Delight
John Hillerman … Deputy Hardin / Jess Hardin
P.J. Johnson … Imogene
Jessie Lee Fulton … Miss Ollie
James N. Harrell … The Minister
Lila Waters … The Minister’s Wife
Noble Willingham … Sr. Robertson
Bob … Gas Station Attendant
Jack Saunders … Station Master

 

# país: EUA
# duração original: 102 min.
# produção: Directors Company, The…
# distribuidora: Paramount Pictures…

 

37 comentários para LUA DE PAPEL (DUAL ÁUDIO/720P/1080P) – 1973

  • renato  DISSE:

    Filmaço ! Obrigado.

  • Wagner S.  DISSE:

    Eita, show de bola Dantweet!

  • Claus  DISSE:

    Muito obrigado!!
    Sempre quis assistir esse filme

    Valeu Danteweet

  • Johnahex  DISSE:

    Interessante,vou conferir,valeu Dant por essa jóia!

  • dantweet  DISSE:

    Aproveitem pessoal, eu sou meio suspeito pra falar. Sou fã desse filme.
    Oscar de Melhor Atriz pra Tatum O’Neal, que aos 10 anos foi a atriz mais jovem à ganhar um Oscar.

  • Luciano Barbosa  DISSE:

    baita filme .. obrigado Dan .. so uma pergunta , nao e por nada , so por curiosidade . Existe esse filme com versao colorizada ? pergunto pq ja e dos anos 70 e ate alguns filmes dos anos 40 existem coloridos … obrigado irmao !!!

  • Julian  DISSE:

    Lindo e divertidíssimo esse filme, assisti algumas vezes nas madrugas da Globo, maravilhoso, super indico. Ótima postagem, parabéns! 🙂

  • Adriano  DISSE:

    Obrigado

  • Thiago  DISSE:

    Que postagem maravilhosa! Vi esse filme em 2015, em versão legendada, e fiquei fascinado com a interpretação de Tatum O’Neal. Não esperava encontrá-lo aqui com a dublagem clássica. Uma grata surpresa. Muito obrigado, Dantweet!

  • dantweet  DISSE:

    Thiago, conheci esse filme em 2010, quando comprei o DVD nacional (edição caprichada com luva e foto, diga-se de passagem).
    Comprei no escuro, apenas na curiosidade de ver o filme que deu o Oscar a atriz mais jovem! Me apaixonei de cara, show de interpretação, a Addie Loggins é EXCELENTE.
    Posteriormente, com o lançamento do bluray na Gringa, consegui o 720p. E semana passada descobri que esse filme tinha dublagem, não sabia também. Fiz e montei toda essa maravilha aí, usando inclusive as legendas e faixa de audio de comentario do diretor do DVD.

    Quem nunca viu esse filme, está perdendo!
    Vale MUITO a pena!

    • Thiago  DISSE:

      Seu trabalho de rmz ficou perfeito. Parabéns, Dant!

  • douglasrafael  DISSE:

    Olá, dantweet! Poderia compartilhar o áudio dublado separadamente? Eu até tentei baixar os seus arquivos, mas para quem tem internet ruim é impossível baixar arquivos grandes do Google Drive. Uma dúvida: 128 kbps é a melhor qualidade do áudio do DVD? =S Desde já agradeço.

    • dantweet  DISSE:

      Olá Douglas.
      Segue o link do audio dublado.
      Esse áudio é uma captura do sinal de TV, pois esse filme não saiu em DVD dublado.
      Obs. Esse audio já está sincronizado para esse meu rmz e para o dvdrip.

      Em tempo, já subi no MEGA a versão Maior desse rmz, com 8,7 GB.
      Em breve será atualizado os links na postagem.
      Abraço!

      https://drive.google.com/file/d/0B6Q1UHz4-gf4NnMwRVVYRzJGV3c/view

      • douglasrafael  DISSE:

        Ah sim! Dublagem de TV. Agora faz sentido.
        Eu ia guardar o áudio para (tentar, futuramente, quando eu aprender como,) colocar numa versão com menor compressão que eu encontrei no HDClub. Pelo tamanho, acredito ser a mesma que você vai postar. Fico muito grato por saber que você vai compartilhá-la! Já aguardo ansioso. Muito obrigado pelo compartilhamento e pela atenção! Abraço.

  • Mopho Digital  DISSE:

    Valeu dantweet! O filme é mesmo muito bom, e dublado melhor ainda! obrigado mesmo! eu ia pedir o documentário também quando lio os comentários, já tá tudo aqui agora rs. Valeu!!

    • douglasrafael  DISSE:

      Dublado é melhor que com o áudio original? Que viagem! kkkk

      • Sparrow  DISSE:

        A maioria aqui curte dublagem, principalmente quando elas são antigas e despertam a nostalgia de uma sessão da tarde, mas não esqueça que exitem dubladores que excederam as expectativas com atuações que são mais dramáticas e reais que as vozes originais.

  • douglasrafael  DISSE:

    Sim. Concordo que há ótimas dublagens e acho que há vozes que combinam bastante com determinados personagens. Um filme dublado, no entanto, é como um teatro de fantoches: as bocas abrem e fecham, mas as vozes que saem são de outrem. Isso sem falar nos textos modificados e da riqueza das expressões que se perde. Dublagens são uma saída e têm sim seu valor como versão, mas num contexto geral, não há como se comparar com o áudio original que é o que é real. É claro que isso é apenas minha humilde opinião.

    • Don Costa  DISSE:

      Boa noite, Douglas.

      Acredito que o marujo Mopho não se referiu à qualidade técnica da dublagem em si, e sim que a postagem ficou “melhor ainda” com a opção dublada, pois, como disse o Sparrow, a maioria dos marujos e visitantes do Tela são fãs de dublagens, principalmente as antigas.

      Obviamente, a preferência por dublados ou legendados vai muito do gosto pessoal de cada um, e realmente é difícil para um dublador atingir o nível de atuação de um Marlon Brando ou de uma Katharine Hepburn. Porém há trabalhos magníficos feitos por dubladores brasileiros que chegam, inclusive, à superar em certos aspectos os atores originais.

      Particularmente, acho a atuação da dubladora Sheila Dorfman nos filmes de Sandra Bullock mais leve, suave a agradável do que a da própria atriz, além de mais divertida quando o filme é uma comédia. O trabalho de dublagem dela em “Gravidade” (2013) é simplesmente fantástico. Por outro lado, no filme “Eragon” (2006), a atriz Fernanda Vasconcellos conseguiu fazer uma das piores dublagens que eu já ouvi, ao dublar o dragão Saphira, num filme que não exigia muita técnica, pois o dragão não mexia a boca e se comunicava por meio de telepatia. Não gostei nem um pouco do filme, e a dublagem, onde a atriz parecia estar simplesmente lendo um texto, pode ter influenciado negativamente.

      Um outro ponto a ser abordado é sobre o que é real em um áudio original. Um dos filmes que remasterizei e postei aqui foi “O Exterminador do Futuro 2”. Nele eu trabalhei por meses mesclando áudio original e dublado e tive uma dificuldade extra: as vozes no áudio original apresentavam uma pequena assincronia em vários pontos, e o que parecia ser uma falha na edição de som era, na verdade, resultado da dublagem feita em estúdio. Acontece que 70% das vozes ouvidas em todo o filme foram redubladas em estúdio pelos atores, o que fazia com que os movimentos labiais ficassem até 0,1 segundo adiantados. Esse atraso no som passa despercebido no filme e só pode ser notado em programas de edição como os que eu usei, mas fica dentro da tolerância de uma dublagem brasileira bem feita. E essa é uma prática cada vez mais comum, principalmente nos filmes de ação, já que é difícil captar com clareza as vozes em meio à tiros, perseguições e explosões. Inclusive esta técnica é utilizada há décadas.

      Então, mesmo no aspecto técnico, uma dublagem bem feita com dubladores talentosos talvez possa, sim, atingir uma qualidade superior ás atuações (vozes) do áudio original. Contudo, ela também pode destruir um filme se a escolha dos dubladores for equivocada.

      Já a adaptação do texto, não tem jeito. Para ajustar as vozes nos movimentos labiais dos atores muitas vezes perde-se o contexto das frases. Piora tudo se for durante uma música, já que as frases ainda tem que rimar.

      Obrigado por opinar e por prestigiar o nosso site.

      Aproveito para agradecer ao marujo Dantweet por mais uma bela contribuição ao acervo do Tela.

      Grande abraço, amigos.

      • douglasrafael  DISSE:

        Olá, Don!
        Eu já tinha noção do fato de os atores precisarem dublar suas próprias falas em determinadas ocasiões, mas me espanta esse número de 70%.
        Confesso que tenho certo preconceito contra dublagens pois observo que uma quantidade grande de pessoas se acomodam e deixam de apreciar obras incríveis simplesmente pelo fato de que elas nunca foram (ou não são facilmente encontradas) dubladas. Também me é bastante estranho ouvir as pessoas se dizerem fã de atores cujas vozes nunca ouviram. Muitos remasterizadores, inclusive, retiram o áudio original e compartilham os filmes apenas com o(s) áudio(s) dublado(s), um costume que considero nocivo e reflexo desse comodismo. Bom ou ruim, vejo o áudio original da produção como parte essencial de um filme.
        Muito obrigado por responder e, aproveitando a oportunidade, gostaria dizer que sou fã do seu trabalho sempre de qualidade impressionante.

      • dantweet  DISSE:

        Excelente colocação Don.
        Parabéns pelo seu excelente trabalho de contribuição ao Tela.
        Abraço!

  • Mopho Digital  DISSE:

    Sparrow e Don Costa, vocês falaram tudo rs. Quando a dublagem é bem feita, merece ser conhecida e “assistida”, não desmerecendo o douglasrafael, que prefere legendado. E como disse o Sparrow, é aquela nostalgia de “sessão da tarde”. Mas é fato, coisa mal feita pode destruir um bom filme! Talvez o pessoal mais novo não curtaa dublagem por não conhecer os clássicos que a dublagem nacional produziu, e que o Tela resgata aqui, e por outro lado a nova geração de duladores só vai aprender “dublando”, existem novos dubladores ruins ou inexperientes, e existem novos dubladores talentosos, então defendo sempre a opção dual audio rs. Li uma vez um ator comentando isso que o Don Costa falou, de ter que dublar suas cenas, e como isso era difícil. Dublagem também é uma atuação. É questão de gosto, dublado ou legendado, não vamos criar caso com isso pessoal rs.

  • Thiago  DISSE:

    Don Costa disse tudo. A técnica da dublagem é utilizada em Hollywood desde sempre. Muitas vezes escutamos diálogos em inglês e achamos que eles foram captados na hora, durante a interpretação dos atores, quando na verdade foram feitos em estúdio durante a pós-produção. Geralmente não percebemos isso porque as falas estão em inglês, a língua nativa do filme, mas a técnica e a tecnologia usadas no processo são praticamente as mesmas da dublagem brasileira. Em Mad Max, por exemplo, lançado na Austrália em abril de 1979, foi preciso dublar todos os atores (inclusive Mel Gibson) para que o filme fosse lançado nos EUA em fevereiro de 1980. Tudo porque o sotaque presente no áudio original (inglês australiano) poderia não ser compreendido pelo público americano. Resultado: o filme foi lançado com a dublagem “made in USA” e foi um tremendo sucesso. Talvez se tivesse saído com o áudio original tivesse sido um fracasso.

  • lucasmsouza  DISSE:

    NAO ACREDITO que encontrei este filme em ful hd e com dublagem classica. MTO obrigado tela de cinema o site de vcs e fantastico. COnheci hoje e ja estou admirado com o tanto de classicos. Que maravilha.

  • dantweet  DISSE:

    CURIOSIDADE:
    Após o sucesso do filme Lua de Papel, no ano seguinte virou uma série de TV, que teve apenas 13 episódios.

    Lua de Papel (Paper Moon, 1974) era protagonizada pela então jovem Jodie Foster no papel de Addie.

    [ MODERADO POR DON COSTA – REGRAS DE COMENTÁRIOS – 3. É proibido a divulgar endereço de fóruns, blogs, sites, canais de vídeo, páginas de rede sociais que não sejam parceiros do blog Tela de Cinema. ]

    • Don Costa  DISSE:

      Bom dia, amigo Dantweet.

      Não é permitido divulgar endereços de sites que não sejam parceiros do Tela de Cinema. Atualmente, nem do Youtube, Facebook, etc.

      O novo marco civil da internet atinge em cheio sites abertos como o Tela de Cinema, pois somos diretamente responsáveis por tudo que é publicado nele. Assim, para proteger o site, não são permitidos links diretos à outros sites que não sejam parceiros, pois não podemos garantir a idoneidade do responsável pela página para a qual o link leva. Mas, se informarmos os dados desta página à qual o link direciona para que a pessoa procure por sua conta e risco, não seremos responsabilizados.

      Os links anteriores do Youtube que você enviou foram permitidos pois se tratava do seu próprio canal naquele site, portanto com idoneidade garantida. Assim, você pode transferir este vídeo para o seu canal e colocar o link gerado aqui no comentário, pois assim será aceito.

      Espero que compreenda a nossa posição.

      Grande abraço.

  • C,TaxiDriver  DISSE:

    Esse era raridade. Anos atrás tentei comprar de um colecionador, e fiquei muito chocado, pois o colecionador me cobrou 150 pilas, isso mesmo, 150 reais por um único filme. Mas, graças ao tela, poderei rever esse filme, agora, com a excelente dublagem da Herbert Richers. Valeu Dantweet !!!

    • dantweet  DISSE:

      Alguns colecionadores viajam. Espero que aproveite!

  • farra4ever  DISSE:

    Obrigado.

  • Daniel Vargas  DISSE:

    Essa com certeza é uma das melhores postagens já feitas na história do Tela de Cinema! Muito obrigado Dantweet! Para quem gosta de extras e comentários do diretor vc fez um trabalho sem igual!

PARTICIPE DA DISCUSSÃO, MAS ANTES DE COMENTAR CLIQUE AQUI E LEIA NOSSAS REGRAS DE COMENTÁRIOS. Saiba que todos os comentários são moderados, nós nos reservamos o direto de publicá-los ou não. É proibido divulgar endereço de sites, blogs, fóruns que não sejam de parceiros ou de colaboradores do Tela de Cinema. Nós não permitimos a publicação de links de arquivos nos comentários, para colaborar acesse o menu do blog e procure pela opção COLABORE CONOSCO, ou clique aqui. Nós não recomendamos a divulgação de emails nos comentários, faça isso por sua conta e próprio risco.