AVENIDA BRASIL (Feito Para TV / Novela Nacional / 720p) – 2012

COMÉDIA – DRAMA – MISTÉRIO – ROMANCE
CRIADOR: João Emanuel Carneiro
DIREÇÃO: André Câmara, Gustavo Fernández (+5)
ROTEIRO: João Emanuel Carneiro, Tereza Falcão (+4)
IMDb: 8,0
http://www.imdb.com/title/tt2303077/

 

NOVELA NACIONAL (179 CAPÍTULOS + EXTRAS)

Postado por Dantweet

 

Formato: M2TS (Compatível com MKV) (Compactado em RAR)
Qualidade: HD 720p (1.963 Kb/s – 1280×720 – 16:9 – 29.970 fps)
Tamanho: 148 GB (900 MB/Capítulo)
Duração: 50 min./Capítulo
Legenda: S/L
Áudio: Português AAC (160 Kbps) 2.0c 48KHz
Servidores: MinhaTeca e Google Drive
Uploader: Dantweet

 

 

AGUARDANDO ATUALIZAÇÃO.

GOOGLE DRIVE

PASTA COM OS ARQUIVOS:  AVENIDA BRASIL + EXTRAS

 

MINHATECA

PASTA COM ANOVELA + EXTRAS: AVENIDA BRASIL
SENHA DA PASTA: #OiOiOi
SENHA PARA DESCOMPACTAR OS ARQUIVOS: avenidabrasil

 

Novela completa, na íntegra.
Capturado da Globo Play. Contém todos os 179 capítulos originais + Extras.

Extras
Adriana Esteves comenta que não iria fazer a Carminha, em Avenida Brasil – Altas Horas (02.04.2016);
Avenida Brasil é um sucesso na Colômbia – Vídeo Show (03.07.2014);
Bastidores da morte de Genésio, em Avenida Brasil – Vìdeo Show (28.03.2012);
Mel Maia relembra gravação de cena marcante em ‘Avenida Brasil’ – Vídeo Show (10.10.2017);
Por Onde Anda Ana Karolina Lannes, a Ágata, de ‘Avenida Brasil’ – Vídeo Show (25.05.2016);
Prêmio CGP 2012 – Melhor Edição (26.12.2012);
Prêmio CGP 2012 – Melhor Fotografia (26.12.2012);
Prêmio CGP 2012 – Melhor Produção (26.12.2012);
Prêmio CGP 2012 – Melhor Sonoplastia (26.12.2012);
Prêmio CGP 2012 – Reconhecimento (26.12.2012);
Repercussão de “Avenida Brasil” se torna notícia em veículos do exterior – Jornal da Globo (19.10.2012).

Quando criança, Rita (Mel Maia) sofreu nas mãos da inescrupulosa madrasta Carminha (Adriana Esteves), que, com a ajuda do amante, Max (Marcello Novaes), armou para Genésio (Tony Ramos), pai da menina, perder tudo o que tinha. Abandonada por Carminha num lixão, aos cuidados do asqueroso Nilo (José de Abreu), Rita se refugiou na casa de Mãe Lucinda (Vera Holtz), onde conheceu Batata (Bernardo Simões), seu amor infantil. Mas o destino fez com que eles se separassem quando um casal de argentinos a adotou, colocando nela o nome de Nina.

 

O artilheiro do campeonato carioca de 1999 foi Jorge Araújo, mais conhecido como Tufão (Murilo Benício). Cria do Divino Futebol Clube, time do subúrbio carioca, onde reside até hoje, Tufão vive a boa fase no Brasil depois de morar no exterior, e está pronto para casar com o amor de sua vida, a apaixonada e divertida cabeleireira Monalisa (Heloísa Périssé). Quem não gosta muito da ideia de casamento é a mãe do rapaz, Muricy (Eliane Giardini), que vive aos trancos e barrancos com Leleco (Marcos Caruso), o boêmio pai do jogador.

 

No dia da final do campeonato, depois da brilhante vitória, Tufão acaba atropelando, acidentalmente, na Avenida Brasil, um senhor que vinha transtornado pelo acostamento: Genésio. Ao prestar socorro, só conseguiu ouvir do homem o nome de sua mulher: Carmem Lúcia Moreira de Souza. Culpado pelo acidente, Tufão sai a procura da viúva fingindo ser um amigo de longa data do falecido, e oferecendo toda a ajuda necessária, já que é um homem rico. Enquanto isso, a esperta Carminha descobre que o jogador foi o culpado pela morte do marido, e vê a chance da sua vida em se dar bem.

 

Com a ajuda de Max, Carminha consegue separar a cabeleireira do jogador e se casa com Tufão grávida do amante, dizendo ser fruto do verdadeiro amor que tinha com o falecido. Com uma vida de luxo, e com Max ao seu lado – ele se casa com Ivana (Letícia Isnard), irmã de Tufão -, Carminha volta às suas raízes no lixão atrás de Lucinda. Conhecidas do passado, ela vai decidida a levar o filho que abandonou quando bebê para ser criado por ela e Tufão: Batata.

 

Doze anos depois, Batata, agora chamado de Jorginho (Cauã Reymond), é um jovem jogador de futebol em ascensão, namorado da bela Débora (Nathália Dill), mas atormentado com o sentimento de raiva que sente pela mãe, que ele acredita ser de criação. Já Rita, agora Nina (Débora Falabella), se tornou uma excelente chef de cozinha. Os anos se passam, mas ela jamais esqueceu a ferida profunda que Carminha deixou em sua vida, voltando ao Brasil para se vingar. Nina vai trabalhar como cozinheira na casa da ex-madrasta, que não a reconhece. Seu plano maior é destruir aos poucos a vida da patroa.

 










 

DÉBORA FALABELLA … Nina Hernandez / Rita Fonseca de Souza
ADRIANA ESTEVES … Carminha (Carmem Lúcia Moreira)
MURILO BENÍCIO … Tufão (Jorge Araújo)
CAUÃ REYMOND … Jorginho (Batata / Cristiano)
MARCELLO NOVAES … Max (Maxwell Oliveira)
VERA HOLTZ … Mãe Lucinda
JOSÉ DE ABREU … Nilo
MARCOS CARUSO … Leleco
ELIANE GIARDINI … Muricy
HELOÍSA PÉRISSÉ … Monalisa Barbosa da Silva
LETÍCIA ISNARD … Ivana
JUCA DE OLIVEIRA … Santiago
NATHÁLIA DILL … Débora
ÍSIS VALVERDE … Suelen
ALEXANDRE BORGES … Cadinho / Dudu (Carlos Eduardo)
DÉBORA BLOCH … Verônica
CAMILA MORGADO … Noêmia
CAROLINA FERRAZ … Alexia
FABÍULA NASCIMENTO … Olenka
JULIANO CAZARRÉ … Adauto
AÍLTON GRAÇA … Silas
OTÁVIO AUGUSTO … Diógenes
DANIEL ROCHA AZEVEDO … Roni
THIAGO MARTINS … Leandro
BRUNO GISSONI … Iran
JOSÉ LORETO … Darkson
DÉBORA NASCIMENTO … Tessália
BIANCA COMPARATO … Betânia (falsa Rita)
CAROL ABRAS … Begônia
CACAU PROTÁSIO … Zezé
CLÁUDIA MISSURA … Janaína
EMILIANO D’ÁVILLA … Lúcio
PAULA BURLAMAQUI … Soninha Catatau (Dolores Neiva)
BETTY FARIA … Pilar
RONNY KRIWAT … Tomás
BRUNA GRIPHAO … Paloma
FELIPE ABIB … Jimmy Bastos
LUANA MARTAU … Beverly
ANDRÉ LUIZ MIRANDA … Valentim
MÁRCIO TADEU DE LIMA … Padre Solano
LEANDRO SANTANNA … Herculano
MURILO ELBAS … Branco
As crianças:
MEL MAIA … Ritinha (Rita criança)
ANA KAROLINA LANNES … Ágata

 

Um grande sucesso popular, Avenida Brasil causou uma verdadeira comoção entre o público – o último capítulo parou o país, como há tempos não se via.

 

Excelente direção (equipe de Amora Mautner e José Luiz Villamarim em núcleo de Ricardo Waddington), cinematográfica – em cenas, tomadas e fotografia -, e de elenco – atores que, aliados ao bom texto, deram vida a uma galeria de personagens carismáticos e de forte apelo popular.

 

Focada na “nova classe C” (a que emergiu após o governo Lula), a novela fez bom uso da situação socioeconômica do país na época para refletir na tela um retrato pitoresco de nossa realidade contemporânea. Pode-se dizer que o fictício bairro do Divino (onde se passava a trama) era um microcosmo do Brasil.

 

A “nova classe C” retratada na novela cativou todas as classes. Como em um jogo de certo ou errado, o autor brincou com as nuances simbólicas de ricos e pobres, elaborando uma crítica social muito pertinente, seja através da grã-fina da Zona Sul (Verônica/Débora Bloch) que fazia pouco caso da figura do suburbano, ou no pobre novo-rico que zombava do elitismo. Da língua ferina de Verônica ouviu-se todo o discurso preconceituoso contra pobres. Enquanto Carminha (Adriana Esteves) debochou ao fazer pouco caso dos pratos refinados da chef Nina (Débora Falabella) – que ganhou um apelido pejorativo: Maria Antonieta -, e do intelectualismo tardio de Tufão (Murilo Benício), que lia livros indicados por Nina.

 

O autor, João Emanuel Carneiro, retratou as camadas populares, mas negou uma busca pela audiência da “nova classe C”.

 

“Esse subúrbio que eu estou criando [o fictício bairro do Divino] não tem uma ambição sociológica, não tenho vontade de fazer uma novela sociológica sobre o Brasil atual, é um exercício de ficção. Tanto que eu inventei um bairro que não existe, é o meu subúrbio, não tenho de prestar satisfação a nada.”

 

“Amo personagens ambivalentes, como o Raskólnikov [de Crime e Castigo], do Dostoiévski”, afirmou Carneiro, em uma das referências literárias que associou à novela.

 

“O lixão, pra mim, é muito Charles Dickens. Essa novela tem um quê de Oliver Twist, é um drama infantil inglês do século 19, uma saga em duas fases.”

 

Sucesso de audiência e também de repercussão, Avenida Brasil foi a primeira novela coqueluche da Internet, provando que a telenovela pode se aliar à rede, e não encará-la como uma concorrente. Que o digam os memes referenciando a trama, a “cascata” diária de “oioiois” no Twitter (aos primeiros acordes do tema de abertura), as inúmeras charges engraçadinhas no Facebook, os bordões “é tudo culpa da Rita!”, “me serve vadia!”, “quero ver você me chamar de amendoim” e “hi hi hi” (a risadinha de Nilo/José de Abreu), os GIFs animados com as caretas de Carminha e suas frases de efeito, e os avatares “congelados” ao estilo das fotos dos personagens sobre o fundo com bolinhas coloridas ao final de cada capítulo. No Twitter, a novela reuniu todas as noites milhões de brasileiros, ávidos em compartilhar opiniões, em um mesmo sofá, virtual.

 

Adriana Esteves se consagrou na interpretação antológica da vilã Carminha, o melhor papel de sua carreira até então. Débora Falabella também defendeu bem sua protagonista Nina, não deixando-se engolir por uma antagonista algumas vezes mais interessante. Foi também o melhor papel de Marcello Novaes, como Max. José de Abreu esteve irrepreensível como o monstruoso e divertido Nilo, bem como Vera Holtz, que esbanjou emoção como a misteriosa Mãe Lucinda.

 

Muitos coadjuvantes brilharam em Avenida Brasil. Cacau Protásio – como a cômica empregada Zezé – roubou a cena, chegando a ter a importância de sua personagem elevada no decorrer da trama. Destaque também para Marcos Caruso (Leleco), Eliane Giardini (Muricy), Letícia Isnard (Ivana), Ísis Valverde (Suelen), Débora Bloch (Verônica), Cláudia Missura (Janaína), Fabíula Nascimento (Olenka), Juliano Cazarré (Adauto), José Loreto (Darkson), e outros.

 

A primeira fase da novela fez brilhar a pequena Mel Maia, que ganhou notoriedade e atenção da mídia ao apresentar talento e extrema segurança em cena interpretando a personagem Rita quando criança. Seus embates com a madrasta Carminha eram emocionantes.

 

Várias sequências marcaram a trama: a pequena Rita sendo abandonada por Max no lixão; Carminha, após descobrir a verdadeira identidade de Nina, enterra a rival viva, em cenas dignas de filme de terror; Nina, indo à forra, se vingando de Carminha numa sequência de tortura psicológica que durou quase uma semana; a tentativa frustrada de Carminha afundar o barco de Max; a expulsão de Carminha da mansão de Tufão; o misterioso assassinato de Max; a reconciliação de Nina e Carminha, nas cenas finais da novela, etc.

 

Como se para atender a todos os públicos, Avenida Brasil reuniu vários estilos de dramaturgia em um só produto. Transgrediu a fórmula do folhetim clássico ao apresentar uma história de vingança em detrimento a uma história de amor. Apresentou uma heroína torta, de personalidade dúbia: Nina foi capaz de roubar e enganar para atingir seus objetivos. A estética da novela a aproximou do cinema. A linguagem narrativa fez lembrar os seriados americanos.

 

O ritmo alucinante da história e os ganchos bombásticos cativaram e mantiveram o telespectador preso à novela. Lamenta-se apenas que a trama tenha perdido o fôlego na segunda metade para o final. Não houve “barriga” (aquele parte da novela em que nada acontece), haja vista os ganchos sempre fortes. Mas a história começou a dar voltas, a patinar, a enrolar o público. Foi quando se deflagrou o maior problema da novela: algumas atitudes incoerentes de Nina (como ter ignorado métodos modernos de armazenamento de informações na trama das fotos que incriminavam Carminha – o caso do pendrive da Nina) e furos no roteiro não passaram despercebidos nem pelo telespectador mais distraído.

 

A história de Avenida Brasil terminou na penúltima semana, quando Nina foi vingada (através de Max) e Carminha foi expulsa da mansão de Tufão. Pelo menos a história apresentada desde o início da novela, a da vingança de Nina contra Carminha.

 

A última semana serviu como epílogo da novela. Com uma semana para terminar, novos entrechos vieram à tona. Um novo vilão apareceu: Santiago (Juca de Oliveira), o pai de Carminha. revelou-se do mal. O mistério do assassinato de Max explicou a origem dos personagens do lixão e os elos que os ligavam. O batido clichê do assassinato incomodou. Mas, na realidade, saber quem matou Max foi apenas o pano de fundo para explicar a origem da “Família Lixão”.

 

João Emanuel Carneiro esclareceu, ao comparar Avenida Brasil com A Favorita:

 

“Com exceção do núcleo da casa do jogador, que é o núcleo dramático, os arredores são muito cômicos e coloridos. Ao contrário de A Favorita, que era uma novela muito ‘preta e branca’, eu quis fazer algo bem colorido. A história de Cadinho [Alexandre Borges] e suas três mulheres – três relacionamentos modernos – é uma grande comédia. Na verdade, todos os arredores têm comédia. Pensei em fazer uma novela que tenha a espinha dorsal de um folhetim russo e um entorno todo colorido.”

 

A novela foi o programa mais visto da TV em 2012. Em 8/10 (uma segunda-feira) registrou 49 pontos com 74% de share (participação no total de televisores ligados), com a expulsão de Carminha da mansão de Tufão. Este número repetiu-se uma semana depois. O capítulo recorde de audiência foi o último, em 19/10: 52 pontos (cada ponto equivale a 60 mil domicílios na Grande São Paulo).

 

O fenômeno Avenida Brasil também chegou à imprensa internacional. A popularidade da trama de João Emanuel Carneiro chamou a atenção do jornal britânico The Guardian e da rede BBC depois que a campanha de Fernando Haddad (então candidato à prefeitura de São Paulo pelo PT) adiou um comício com a presidente Dilma Rousseff para evitar a concorrência com o final da novela.

 

O Operador Nacional do Sistema (ONS), órgão que coordena a operação da energia elétrica no país, chegou a preparar um esquema especial para o último capítulo de Avenida Brasil, na noite de 19/10/2012. A expectativa era que as pessoas adiassem para logo depois da novela atividades que normalmente fazem antes ou durante o folhetim, o que geraria um efeito chamado “rampa de carga”, nos minutos seguintes ao término de transmissões com grande audiência, como foi o último capítulo. De acordo com órgão, o fenômeno acontece porque as pessoas retomam suas atividades normais – como tomar banho, acender as luzes da casa ou abrir a geladeira – simultaneamente em um curto espaço de tempo. A concentração do consumo nos primeiros oito minutos depois do capítulo final da trama exigia um rápido equilíbrio entre a demanda e a carga de energia.

 

Em Uberlândia (MG), foram gravadas cenas de uma partida de futebol, protagonizadas por Tufão (Murilo Benício) no início da novela. Na trama, a partida acontecia no Maracanã, mas, como o estádio estava em reforma para a Copa das Confederações de 2013, a produção buscou um local que se assemelhasse ao cenário original. O escolhido foi o Estádio Municipal João Havelange, conhecido como Parque do Sabiá. O locutor esportivo Cléber Machado fez uma participação especial na cena, narrando o jogo. (*)

 

Na Argentina, foram feitas as cenas (do início da novela) de Rita/Nina (Mel Maia/Débora Falabella) com sua nova família. Os takes ajudaram a contar o que aconteceu com a personagem após deixar o depósito de lixo. Para ambientar as cenas gravadas em terras argentinas, a cidade escolhida foi Mendonza, região conhecida pela produção de vinho, sendo uma das mais importantes do país. (*)

 

O núcleo do lixão, encabeçado por Nilo (José de Abreu) e Lucinda (Vera Holtz), precisava chegar, em média, três horas antes das gravações para a preparação da maquiagem. Cabelos amarelados, unhas e dentes maltratados, manchas na pele e um suor frequente no rosto faziam parte da composição. A equipe de caracterização usava pomadas e talcos para cabelos, além de tintas especais para criar esses efeitos. As peças vestidas pelos personagens recebiam um tratamento para serem escurecidas e desbotadas. As roupas eram vestidas umas por cima das outras, como se pudessem proteger os moradores de todo o lixo do depósito. Chapéus, boinas, bonés, luvas e meias grossas compunham o acervo de roupas, além das capas de plástico presas em volta do corpo.

 

Os filmes Estamira (2004) de Marcos Prado; Lixo Extraordinário (2010), de Lucy Walker, Karen Harley e João Jardim; e Oliver Twist (2005), de Roman Polanski serviram de inspiração para a equipe. (*)

 

Para viver Nina, Débora Falabella fez aulas de culinária e aprendeu a pilotar uma scooter. Marcos Caruso, o Leleco, teve de aprender a jogar sinuca. Murilo Benício e Cauã Reymond – Tufão e Jorginho, respectivamente – passaram por treinos de futebol com atletas como Cláudio Adão. Nathalia Dill, intérprete de Débora, treinou muito para executar com perfeição os movimentos no tecido acrobático. Monalisa e Olenka, vividas por Heloísa Périssé e Fabíula Nascimento, respectivamente, fizeram laboratório em salões de beleza para entenderem a dinâmica de trabalho das cabeleireiras. Bianca Comparato, a Betânia, esteve em um posto de gasolina para ver de perto o dia a dia de uma frentista e fez um laboratório no aterro sanitário de Gramacho, em Duque de Caxias, no Rio de Janeiro. Juliano Cazarré, o Adauto, foi gari na primeira fase da trama. Para isso, acompanhou um pouco da realidade desses profissionais. Para viver a dependente química argentina Begônia, Carol Abras mergulhou fundo no universo da personagem e aprendeu muito em seu laboratório, que incluiu visitas a clínicas de reabilitação e curso intensivo de espanhol. Para compor Dolores Neiva, vulgo Soninha Catatau, Paula Burlamaqui foi a cultos evangélicos e também assistiu a alguns pela internet. (*)

 

O estilo charme, dançado no Divino Futebol Clube, exigiu que Isis Valverde (Suelen), Fabíula Nascimento (Olenka), Débora Nascimento (Tessália), José Loreto (Darkson), Ailton Graça (Silas), Bruno Gissoni (Iran) e Daniel Rocha (Roni) fizessem aulas coreografadas, ministradas pelo professor Dudu Neves. (*)

 

A mansão cenográfica de Tufão tinha piscina, edícula e colunas de mármore na fachada para mostrar imponência. Os ambientes internos foram criados dentro do estúdio, com um visual bem dourado e muitos detalhes em veludo.

 

O lixão cenográfico foi construído perto do Projac, em Jacarepaguá, seguindo o resultado de pesquisas em aterros sanitários reais, como o de Jardim Gramacho, em Duque de Caxias, também no Rio de Janeiro. Todo o material cenográfico do lixão não era perecível e foi lavado. Lata, ferro e garrafas pet de todos os tipos foram alguns dos itens usados. (*)

 

O hábito de leitura foi incentivado na novela através das cenas em que Tufão (Murilo Benício) lia os livros emprestados por Nina (Débora Falabella): “A Metamorfose”, de Franz Kafka; “Madame Bovary”, de Gustave Flaubert; “A Interpretação dos Sonhos”, de Sigmund Freud; “O Primo Basílio”, de Eça de Queirós; e “Memórias Póstumas de Brás Cubas”, “Dom Casmurro” e “O Alienista”, de Machado de Assis. (*)

 

Dados consolidados pela Diretoria de Negócios da Globo comprovam o sucesso da trama em mercados internacionais: até janeiro de 2016, 132 países compraram os direitos de exibição da novela. Avenida Brasil, segundo a mesma fonte, está no topo do ranking de programas mais vendidos ao exterior pela Globo.

 

Avenida Brasil conquistou o Grande Prêmio da Crítica de 2012, concedido pela Associação Paulista de Críticos de Arte. A APCA também elegeu Adriana Esteves e José de Abreu, respectivamente, a melhor atriz e o melhor ator do ano.

 

Avenida Brasil também foi premiada com o Troféu Imprensa de melhor novela de 2012, melhor ator (Murilo Benício) e melhor atriz (Adriana Esteves).

 

# país: Brasil
# duração original: 50 min.
# produção: Rede Globo de Televisão…
# distribuidora: Rede Globo de Televisão…

 

33 comentários para AVENIDA BRASIL (Feito Para TV / Novela Nacional / 720p) – 2012

  • patrickgt  DISSE:

    Vc é o rei das novelas, parabéns!

  • THIAGO PIMENTEL DA SILVA  DISSE:

    Essa é uma das melhores. Obrigado!

  • fabio.sodre30@outlook.com  DISSE:

    consegue a novela babilonia pra a gente man? minha mãe infartou e adorava essa novela. meu sonho é encontrar e dá pra ela de surpresa ^^

    • dantweet  DISSE:

      Aí ela infarta novamente amigo rs. Vou ver se consigo, fique de olho.

  • Lorde Lucifer  DISSE:

    Olá Dantweet (espero que não me ache o “chato dos episódios”.
    Episódio 174 – Senha de extração incorreta
    Episódios 19, 23, 62 157, 168, 174, 175 e 179 estão marcados como “Este arquivo não existe, contém erros ou foi classificado como perigoso (p.ex. continha vírus) e não pode ser disponibilizado”

    Grande Abraço
    LL

    • dantweet  DISSE:

      Olá amigo. Sem problemas, essa falha do MinhaTeca me tira do sério tb.
      Já reupei todos os capitulos mencionados, incluindo o 174.
      Caso não queira baixar novamente o 174 por conta da senha, a senha que está neste aí que vc baixou é: celebridade

      Abraço!

      • Lorde Lucifer  DISSE:

        Sensacional.
        Muito Obrigado e mais uma vez, parabéns pelo trabalho em manter viva essas memórias

        Grande abraço
        LL

  • rogermarcilista  DISSE:

    a senha #OIOIOI nao esta abrindo senha invalida

    • Don Costa  DISSE:

      Boa tarde, Roger.

      Eu testei aqui e a senha funcionou perfeitamente.

      Verifique se você está digitando a senha corretamente. Ela é composta por três “ós” maiúsculos e três “is” minúsculos.

      Note que a senha “#OiOiOi” é utilizada somente para acessar os arquivos na pasta, mas para descompactá-los é necessária uma outra senha, que é “avenidabrasil”.

      Por favor, informe-nos se conseguir completar a extração seguindo as orientações passadas.

      Abraços.

  • craque  DISSE:

    capitulo 086 fala que não existe tem como arrumarem

  • craque  DISSE:

    086 arquivo não pode ser lido dando esse erro

  • craque  DISSE:

    capitulo 132 arquivo não pode ser lido dando erro

  • eduardo fontana  DISSE:

    Alguém pode reupar em outro servidor?

    • dantweet  DISSE:

      Está upado no Google Drive amigo! Melhor servidor atual!

  • Felipe Geller  DISSE:

    A pasta do GDrive esta off

  • rogermarcilista  DISSE:

    essa novela vao fazer igual o cravo e a rosa?quanto agente estiver quase finalizando o download vao apagar os links?

    • Don Costa  DISSE:

      Boa noite, Roger.

      O Tela de Cinema é uma comunidade formada por vários colaboradores que nos enviam os seus arquivos para serem compartilhados. O site em si não possui nenhum arquivo guardado, nem mesmo um back-up dos filmes postados. Cada colaborador é o único responsável pela disponibilidade dos arquivos e pela integridade dos links enviados, e o site funciona mais como uma ponte entre o colaborador que compartilha os seus arquivos e os visitantes que baixam estes arquivos.

      Você pode conhecer melhor a história do Tela de Cinema visitando a seguinte página do site: “http://teladecinema.net/happy-birthday/” .

      Então, não temos como dar nenhuma garantia de que os links continuem online, de que o servidor continue prestando serviços de hospedagem, de que o colaborador continue compartilhando arquivos, ou mesmo de que o próprio site ainda esteja funcionando amanhã.

      Abraços e boa sorte.

  • vlad  DISSE:

    A fotografia dessa novela é sombria como um cemitério à meia noite…

  • rogermarcilista  DISSE:

    Porque ondownload pelo google drive esta bloqueado como faco para desbloquear

  • rogermarcilista  DISSE:

    Boa noite amigos estava baixando a novela porem o acesso foi bloqueado novamente podem desbloquear por favor???meu email roger_w_martins_@hotmail.com

  • rogermarcilista  DISSE:

    por favor liberem o download da novela eu e minha maezinha estava baixando pra rever de novo essa novela e bloquearam o download =/

  • rogermarcilista  DISSE:
  • rogermarcilista  DISSE:

    Nao esta dando pra baixar nenhum capitulo

  • rogermarcilista  DISSE:

    parabens Dantweet

  • rogermarcilista  DISSE:

    infelizmente nao esta dando mais pra baixar nenhum capitulo estou tentando baixar o capitulo 18 e aparece a menssagem (voce nao pode visualizar ou fazer download desde arquivo no momento) ja reiniciei o modem e nada

    • Don Costa  DISSE:

      Boa noite, Roger.

      Os arquivos já estão desbloqueados, mas, recentemente, o servidor Google Drive passou a limitar a quantidade de downloads disponíveis para cada arquivo a cada 24 horas. E não foi só ele. Todos os servidores conhecidos mudaram ou estão mudando a política de prestação de serviços para pior, eliminando o serviço gratuito, impondo limitações de espaço ou velocidade, etc. E a situação só tende a piorar.

      Assim, recomendo que instale um gerenciador de downloads, como o JDownloader ou o Mipony, copie o link para o gerenciador escolhido e deixe-o administrar os downloads para você. Ele não burlará os limites impostos pelo Google Drive, mas pelo menos você não precisará cuidar dos downloads manualmente. Quando uma nova cota de downloads for liberada, o gerenciador iniciará o download automaticamente, bastando para isso que o programa esteja aberto e que o computador esteja conectado.

      Caso tenha alguma outra dúvida é só informar.

      Abraços.

  • rogermarcilista  DISSE:

    finalmente eu consegui assistir alguns capitulos e esta 100% unica coisa que faltou nessa versao é que cortaram a musica de abertura

  • Carl Squall  DISSE:

    Poxa, estou baixando cada episódio e salvando num hd externo, mas hoje começou a dar Erro 404, URL não encontrada no servidor. Será que tem como atualizar?

    • Don Costa  DISSE:

      Boa tarde, Carl.

      O Google Drive bloqueou a conta do colaborador. Agora ele terá de reupar todo o conteúdo em um novo servidor e nos enviar os novos links para atualizar a postagem. Infelizmente não há um prazo para que isso aconteça, podendo levar alguns dias ou até meses.

      Abraços.

      • Carl Squall  DISSE:

        Obg pela resposta, Don Costa. Eu vou aguardar. Espero que realmente haja uma atualização. A qualidade está incrível e já baixei 110 capítulos. Até encontrei hoje em um outro site, mas numa qualidade bem inferior, embora na especificação, também mostra que está em 720p, mas nem se compara ao dessa postagem.

  • rogermarcilista  DISSE:

    Pois entao ja era infelizmente vou ter q comprar o dvd da novela

  • TERROR BOY  DISSE:

    Será que podem atualizar os links para download da novela???

  • Fabiano Archetti  DISSE:

    Poderiam reupar?

PARTICIPE DA DISCUSSÃO, MAS ANTES DE COMENTAR CLIQUE AQUI E LEIA NOSSAS REGRAS DE COMENTÁRIOS. Saiba que todos os comentários são moderados, nós nos reservamos o direto de publicá-los ou não. É proibido divulgar endereço de sites, blogs, fóruns que não sejam de parceiros ou de colaboradores do Tela de Cinema. Nós não permitimos a publicação de links de arquivos nos comentários, para colaborar acesse o menu do blog e procure pela opção COLABORE CONOSCO, ou clique aqui. Nós não recomendamos a divulgação de emails nos comentários, faça isso por sua conta e próprio risco.